sábado, 28 de março de 2009

"Saturno"



SATURNO

tudo explode junto ao olho esquerdo

mesmo a dor de partir desta para melhor

tudo explode sob o olhar do amor

mesmo a indiferença junto ao mar

tudo explode junto a joão cordeiro

mesmo a certeza de que as filhas sempre retornam

tudo explode sob o olhar do amor

mesmo Nina Simone chorando em meio a cellos

tudo explode sob ameaças das chuvas do caju

mesmo teus vestidos de verão que nunca foram usados

tudo explode sob hendrix entre os oitis

mesmo a dor da perda do pai

tudo explode sob a miséria dos filhos lendo castro

mesmo a maggy contando tostões para o natal

tudo explode sob a fúria do Rio Negro

encontrando o Solimões sob os olhos do José

tudo explode sob as vísceras expostas ao céu

sob as bênçãos do Aloísio

tudo explode em meio aos Salmos de Davi

que nem sempre refrigeram a alma

tudo explode sob dedos azuis em busca de Netuno

mesmo a última canção do Dylan

tudo explode em meio ao pai que não retorna

mesmo cruiyff e o watergate

tudo risca o corpo mesmo a Bishop chorando pela Lota

mesmo C. morando pelos cantos

feito menino que não retorna ao quarto em horas devidas

tudo explode

mesmo três dedos de prosa

tudo retorna

sempre feito cinzas em meio as marés

sempre

2 comentários:

  1. O jornal e o seu leitor. Parece um domingo. Gostei do "Saturno".
    Abs,
    Daniel.

    ResponderExcluir
  2. o domingo 'que nem sempre refrigera a alma'...

    ResponderExcluir